Português
 
 


Literatura e Publicações
 
Os bairros Henschhausen, Neurath e Medenscheid.

Título original: Die Ausbauorte Henschhausen, Neurath und Medenscheid
Karl-Ernst Linz

Desde a sua fundação, a localidade de Henschhausen e os bairros de Neurath e Medenscheid, fazem parte do território da cidade e submentem-se, administrativamente, à comunidade de Bacharach, e os seus cidadãos tinham desde então direitos de cidadania. A história destes bairros está estreitamente ligada com a da cidade de Bacharach(1). Por volta do ano 1000, tanto Bacharach como seus três bairros, pertenciam ao bispado de Colônia.

No ano de 1104, o Bispo Frederico de Colônia, no Sínodo de Colônia, documentou e confirmou que o Meginher de Randenrode, por motivo de não ter esposa nem filhos, com o consetimento de seu irmão Hartbern, presenteou o seu pratrimônio, em Horenchhusen, e 120 medidas de trigo, como pensão anual de Dorwiler, e assim todos os seus bens para a Fundação "Mariengraden", em Colônia.

No ano de 1140, Bacharach, bem como Henschhausen e mais os outros dois bairros, foram entregues aos cuidados adminstrativos do Conde Herman von Stahleck e,desde 1189,pertencem efetivamente ao Condado.

Henschhausen situa-se no limite norte da localidade principal. Esta divisa corre de "Weseler Struth", ao longo do riacho Sygen até o córrego do moinho e, de lá, novamente ao longo do Sygen até Langscheid e adiante, através de Haenschhausen e Neuenberg, até o arroio Pützbach e, finalmente, de lá até o Reno.

A crônica de Bacharach, escrita em 1386, relata que o Bispo de Colônia possui um pátio exclusivo, em Henschhausen.

No século XV ele possuía dois pátios, que eram alugados, sendo que este aluguel subsidia a administração do latifundiário.

Em uma relação sobre os proprietários nobres, escrita por ordem do Conde, Johann Casimir, em 23.1.1590, por seu escrivão, no forte de Stahleck, Meinhard von Schönberg, está documentado que os descendentes do senhor Geller de Bacharach, alugaram os dois pátios em Henschhausen e, ao invés de pagar com trabalho, forneceram para o Saalhof de Bacharach, uma metade de "Fuda" de vinho destilado (conhaque).

No final da idade média dois agricultores exploravam o pátio de Dorweiler. Moravam lá como inquilinos, conservavam os prédios em bom estado e cultivavam vinhedos e roças.

Várias vezes eles tinham que se defender de ataques de Henschhausen. Como descrito em 1755, Henschhausen se apoderou de um povoado de 30 moradores, saqueando e destruindo tudo o que era possível.

Nos ano de 1769 o pátio foi alugado para a comunidade de Henschhausen. Deste pátio, atualmente, resta apenas seu nome.

Ao ler-se o antigo regulamento da cidade, denota-se claramente o estreito relacionamento entre o lugarejo mais elevado (de Henschhausen) e a cidade de Bacharach. Lá consta que o Sineiro de Bacharach obteve, durante os festejos de Kerb, 6 ovos de cada moradia. O dia da entrega era sexta-feira santa.

Henschhausen festeja o Kerb no primeiro Domingo e Segunda-feira de Setembro. Da lista tributária de Henschhausen, datada de 1774, pode-se ler que lá existiam 30 casas.

A maioria dos moradores viviam da agricultura. Alguns nomes de família: Gansmann (era ferreiro), Hochstein, Hardel, Silbach (este último era mestre-escola), Schnee (era criador de gado) e Vogel.

Oficialmente havia o Adam Hemp, que possuía duas casas e muitas terras; Carl Maldana também é mencionado como latifundiário. Havia uma escola comunitária e consta que havia um local para banho público.

No ano de 1880 Henschhausen tinha 221 moradores, dos quais 173 eram protestantes, 38 católicos e 10 batistas.

No mesmo ano foi também fundada a seita denominada "Os Irmãos".(12). A história da escola, neste documento, pode ser contada apenas resumidamente. Assim, no ano de 1832, o aspirante a professor, natural Henschhausen, Conrad Fensterseifer, foi escolhido como professor.Entretanto, por motivo de incompetência, no ano de 1844, foi demitido. O soldo do professor, incialmente era pago com produtos e, mais tarde em dinheiro, sendo um terço com dinheiro público e, o restante, os pais custeavam.

No ano de 1848 foi construído o prédio da escola. O sucessor do professor Wendling foi o professor Philipp Jung que, em 1859, começou com um soldo de $96,- Talers até o ano de 1872, quando foi aumentado para $150 -. Um decreto de 15.10.1872, entre outras determinações, fixou o soldo anual do professor em $900,- Marcos Imperiais, que eram custeados somente com o dinheiro da comunidade. Por exemplo, no ano de 1883, um litro de leite custava dez centavos; meio quilograma de carne de porco, cinqüenta e seis centavos; meio quilograma de manteiga, entre um marco a um marco e trinta centavos.

Henschhausen conta hoje (1999?) com mais ou menos 200 moradores, que parcialmente ainda exercem atividade agrícola e vinicultura, como atividade secundária. Além disso, existem quatro colonos (sítios) trabalhando plenamente em sua atividade.

Dirigimo-nos agora para o lugarejo mais oriental, Neurath. Neurath ficava, antigamente, junto a uma velha estrada de conexão para o Hunsrück.Um documento do ano de 1348 comprova a sua existência. Depois, um tal Silvert, filho do "Frölich" de Neurath, junto a Bacharach, no "Oberdorf", habitava uma casa com jardim de St.Aposteln, em Colônia, mediante cinco Schillings de juros.(15).

Restos e entulhos de muralhas de cidades incendiadas, como as encontradas no cemitério do assim mencionado Heidenweg, em direção a Rabenkopf, nos dá uma idéia da antiga aparência da vila(16). Nos "Lenne" (a expressão deriva de Linden, Tília), entre as casas de Jakob Hemp, Peter Grobel e Matthias Borniger, mais tarde surgiu o centro da vilha, conforme narra o mesmo manuscrito. Isso foi, provavelmente, na metade do século XVII.

Apontamentos e crônicas escritas por uma família, provavelmente moradores em Neurath, dão conta sobre "Irrungen" (deve ser no sentido de discórdia) entre Bacharach e os vilarejos, por causa de problemas de divisa (fronteira), enchentes e dízimos, etc. e a existência de determinadas cópias de atas (protocolos), bem como notícias dos anos de 1851-1888, e também de listas das equipes de bombeiros. Apontamentos, entre 1853 e 1867, confirmam quais os vizinhos que cavavam as sepulturas e levavam os defuntos para o cemitério.(17).

O estreito relacionamento religioso entre Neurath e Bacharach, proporcionou que o sineiro (pessoa responsável para badalar o sino), de Bacharach, conforme as regras da comunidade do ano de 1610, recebesse 6 ovos durante o Kirmes (Kerb), no primeiro domingo e segunda-feira de Junho, de cada morador "uff Neurath" (de Neurath).(18). Em Neurath existia uma pequena capela. Os moradores de Neurath contribuíam anualmente, em benefício desta capela, com 12 Reichstaler (Taler Real) e 22 Albus (19).

Interessante é o seguinte comunicado do relojoeiro Heinrich Paff, em uma carta datada do ano de 1890, na qual ele escreve que a Praça, na frente do Correio, cara-a-cara com as cocheiras do pátio, onde os mortos evangélicos dos vilarejos foram colocados e ordenados. Então vieram os vizinhos dos colonos e os sepultaram e, de lá, seguia o cortejo fúnebre. No dia 17 de março de 1853 foi cavada a primeira sepultura no novo cemitério.(20). Trata-se do cemitério que hoje fica ao lado da velha escola. Neurath, até esta data, não possuía um cemitério próprio e, o mencionado cemitério velho, próximo ao recém- criado vilarejo, foi provavelmente desativado, já no século XVIII. A participação dos moradores nos cortejos fúnebres não era grande. Então em 13 de julho de 1853, a Comunidade revalidou as "antigas determinações (regras)" para os enterros, exigindo inclusive pagamentos em dinheiro para os não acompanhantes que não tinham motivos plenamente justificáveis. (21).

Para melhorar as condições de higiene,foram abertos dois canais de esgoto em Backesbrunnen, no ano de 1874, para ejetar as águas sujas e, em 21 de outubro de 1887, escorria, pela primeira ve, a água através da tubulação de ferro fundido, do denominado "Rehrebruniien". (22).

O acima mencionado documento,refere-se no ano de 1888 pela primeira vez a uma "equipe de esguicho", isto é, a uma equipe de bombeiros voluntários, a qual se compunha de esguichadores, operadores da máquina de pressão, carregadores de água e frentistas (pessoas que adentravam as chamas = Feuerläufer).

É digno de nota ainda, que os Bombeiros de Neurath mantém, em seu Arquivo, cerca de 43 baldes de couro.

No século XVIII, O município de Bacharach fixou para 25 moradores de Neurath, um tributo = "Kopfsteuer" (imposto pessoal, individual, pessoa-física). Alcançava o valor de 25 Cruzados.(23). A população atual de Neurath é de aproximadamente 200 habitantes, que em parte ainda exercem atividades na vinicultura e agricultura. A criação de novos planos urbanos e construções em fins dos anos sessenta e início dos anos setenta, do nosso século, influenciaram positivamente no crescimento populacional.

A história da Escola do lugarejo, existente desde 1839, confunde-se (em estreito relacionamento) com a de Medenscheid. Diante da definitiva "Associação Escolar" Neurath-Medenscheid, de 1841, lecionava o professor Jacob Prassel (formado em 1837?), por um salário anual de 5 ½ Malter (medida antiga) de trigo que, entretanto, no mesmo ano, foi fixado em 60 Talers. (24). A Associação Escolar, que foi por ele exigida, comprovou ser a solução para ambas as Escolas. No ano de 1843 a sala de aula foi ampliada e contratado o professor Christoph Reuther, para educar as 60 crianças de ambas as Vilas, anualmente 103, 10 Talers.

Em razão das péssimas condições da moradia da escola e dos baixos soldos do professor, ocorreram, nos próximos anos, várias trocas de professores. Novas regras para construções logo eliminaram este mal. Entretanto, o novo prédio da Escola só surgiu no ano de 1879. Em 1971 a escola foi desativada.

O lugarejo, situado nos altos das margens do Reno - Medenscheid - já fora mencionado, em 1358, como Medemscheid e, no ano de 1558, como Medemschitt.(25) O sineiro de Bacharach recebia de cada morador, na ocasião do Kirmes (festejo popular), conforme determinação em um documento da comunidade, de 1610, seis ovos.(26).

Medenscheid festeja o seu Kirmes no segundo domingo e segunda-feira de agosto. Na vila toca um grupo musical, uma bandinha. No dia 19 de março de 1514 o Patz (autoridade qualquer) Henne de Nekurath, diante da Chefatura de Bacharach, baixou uma determinação sobre a contribuição de 18 Albus (moeda antiga) para a "Bandinha de Medenscheid".(27). Os moradores de Medenscheid contribuíam anualmente a favor da (Kalielle - deve ser Kapelle) Bandinha com 11 Talers Reais em juros e os de Winzberg, 14 Talers Reais.(28).

No século XVIII, 19 moradores foram tributados idividualmente (como acima!). O montante era de 25 Cruzados.(29). Hoje, a comunidade conta com cerca de 170 moradores, que parcialmente exercem atividades agrícolas e vinículas: há uma Cooperativa Agrícola. (Cooperativa seria Genossenschaft, aí está mais no sentido de Associação).

Medenscheid tinha, no ano de 1837, sua própria Escola.(30). O professor Enners ganhava por ano 30 Talers, bem como uma pensão fixa (no sentido de moradia), que eram divididos (gravados) aos moradores na conformidade de seus recursos tributários (quanto cada um pagava de imposto). Havia 36 domicílios. Pensão e Custos com aquecimento, a comunidade pagava. A cada troca de professor, as condições escolares entre ele e a diretoria da Escola eram novamente negociadas. O sucessor do professor Wenz, no ano de 1838, foi Christoph Reuther. Ele assumiu também no ano seguinte a Escola de Neurath, de modo que as aulas ocorriam sucessivamente, em ambas as localidades. No ano de 1840 foi novamente possível manter as duas escolas, cada uma com apenas um professor. Para Medenscheid foi o professor Faber e para Neurath, o professor Göhring.

A partir de 1841 as duas comunidades implantaram uma Associação Escolar em caráter definitivo. A sala de aula de Medenscheid, em 1844, foi reformada, isto é, ainda havia aula. Todavia, a partir de 1845, não há mais referências sobre uma sala de aula em Medenscheid. Esforços, no sentido de se construir uma escola, na metade do caminho entre os dois lugarejos, fracassaram. Em 1959 uma ótima estrada foi construída entre os dois distritos. Um novo caminho, entre Bacharach até Medenscheid, através do Bombachtal, surgiu em 1929; antes disso o vínculo era através do velho caminho de Medenscheid, que iniciava ao sul da cantina de vinho espumante (Sekt= Champagne) Geiling.Um novo plano urbanístico (construção de novas casas), e uma nova sede comunitária & bombeiros foi construída no ano de 1991 e trouxe novo desenvolvimento para o lugar.

Livro:
BACHARACH - und die Geschichte de Viertälerorte
Bacharach, Steeg, Diebach und Manubach
Friedrich-Ludwig Wagner - 1999
ISBN 3-00-000994-9
Tradução livre de Ernani Haag - dezembro/01
Páginas: 389 - 396
 
Página Anterior Capa  1  2  3  4  5  6 Próxima Página

Literatura e Publicações

©2019 Família Dienstmann. Todos os direitos reservados. Projeto & Desenvolvimento - Zooweb